Os diferenciais da educação na Finlândia

avatar Diálogos Viagens Pedagógicas - 09 de abril de 2019

Viagens pedagógicas

Se você acha que uma boa educação consiste no máximo de trabalho acadêmico possível, muita concorrência e muitos testes, então uma viagem à Finlândia certamente te trará uma nova perspectiva.

O país instituiu uma abordagem radicalmente diferente da educação em 1971, e vem gradualmente refinando-a desde então.

 

Mas quais os diferenciais da educação da Finlândia?

 

1) A oportunidade é para todos!

 

Todas as escolas na Finlândia são financiadas pelo governo. Isso significa que a qualidade da educação que uma criança recebe não depende da renda dos pais; todas as crianças na Finlândia são bem-vindas em escolas de alta qualidade, onde todas suas necessidades são nutridas.

Isso cria uma sociedade igual, onde todas as crianças recebem oportunidades iguais desde o início de suas vidas. Significa que as crianças se socializam com pessoas de diversas origens quando crescerem e que todas as crianças terão oportunidades iguais de ter sucesso em sua vida adulta.

2) O tempo livre dos estudantes é altamente valorizado

 

Na Finlândia, estudantes, professores e pais também entendem que o tempo livre é crucial para o desenvolvimento. Isso significa que são permitidas às crianças 15 minutos de brincadeira após 45 minutos de ensino para ajudar a desenvolver habilidades sociais e aprender a cooperar.

O tempo em casa na Finlândia também significa exatamente isso. Essa filosofia reconhece que a infância deve ser mais do que simplesmente memorizar a raiz quadrada de pi.

3) O ensino é valorizado como uma profissão respeitável

 

Na Finlândia, os professores são reconhecidos como alguns dos profissionais mais importantes da sociedade. Para se tornar um professor, você deve ter pelo menos um mestrado, bem como o equivalente a um programa de residência nas faculdades de medicina dos EUA.

O país reconhece a importância das melhores mentes no país, compartilhando seus conhecimentos com a juventude de hoje.

4) Pesquisa é rei na tomada de decisão.

 

Graças aos centros de pesquisa despolitizados, a Finlândia toma decisões sobre educação com base em resultados independentes.

Junto a isso, vem uma política de confiança onde os professores são encorajados a experimentar técnicas de ensino para ver o que melhor se adapta à sua classe.

A Finlândia oferece aos professores liberdade para identificar as individualidades dentro da classe e ensinar de acordo com elas. Os estudantes do país se beneficiam de diversas técnicas de aprendizado e pensamento criativo.

Observar a educação na Finlândia é se certificar o que realmente significa a expressão “menos é mais”

- Menos horas de instrução representam mais tempo para planejamento

Os professores têm dias mais curtos. Segundo a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), um professor finlandês leciona uma média de 600 horas por ano ou cerca de 4 ou menos aulas diárias.  

Além disso, professores e alunos na Finlândia não devem estar na escola quando não têm aula. Por exemplo, se eles não tiverem aulas da tarde às quintas-feiras, eles (professores e alunos) podem simplesmente sair. Ou se a primeira aula deles na quarta-feira começar às 11:00, eles não precisam estar na escola até aquele horário.

Este sistema permite que o professor finlandês tenha mais tempo para planejar e pensar sobre cada lição.

- Menos professores representam mais coerência e cuidado na educação

Alunos do ensino fundamental na Finlândia muitas vezes têm o mesmo professor durante os seis anos de sua educação. Assim, eles descobrirão as necessidades individuais de seu grupo de 15 a 20 alunos e os estilos de aprendizagem de cada aluno.

Eles rastreiam o progresso das crianças e têm um interesse pessoal em vê-las terem sucesso e alcançando seus objetivos.

Este sistema não é apenas útil para uma criança, já que garante consistência, cuidado e atenção individualizada de que necessitam, mas também ajuda os professores a compreender o currículo de uma forma holística e linear. O professor sabe o que precisa ensinar, ao mesmo tempo em que dá aos professores a liberdade de trabalhar no ritmo de seus alunos.

Os professores não sentem a pressão para acelerar ou desacelerar para que eles estejam “prontos” para o professor no próximo ano. Mais uma vez, eles serão os professores no próximo ano e eles controlarão o currículo! Eles sabem onde estão as crianças e o que aprenderam e planejam de acordo com as necessidades dos alunos!  

- Menos aulas e mais intervalos: uma receita de sucesso!

Como já dito anteriormente, os alunos têm várias pausas durante o dia e acontecem fora faça chuva ou faça sol. Esses 15 a 20 minutos dão a eles tempo para digerir o que estão aprendendo, usar os músculos, esticar as pernas, respirar ar fresco. Há várias vantagens neurológicas nessas quebras.

Estudo após estudo apoia a necessidade de as crianças serem fisicamente ativas para aprender. A estagnação do corpo leva à estagnação do cérebro e às crianças “hiper” desfocadas.

- Menos foco em avaliações e mais foco em aprendizagem

Imagine todas as coisas interessantes que você poderia fazer com seus alunos se não houvesse um teste gigante para se preocupar. Imagine o quanto mais divertido e envolvente suas aulas seriam!

Embora ainda exista, há menos pressão sobre o professor na Finlândia para seguir o que manda o currículo. O professor é simplesmente confiável para fazer um bom trabalho e, portanto, eles têm mais controle sobre sua sala de aula e seu conteúdo.

O professor é capaz de assumir mais riscos e tentar coisas novas e criar um currículo estimulante e envolvente que permite aos alunos se tornarem indivíduos qualificados e prontos para o mundo real. Eles têm tempo para ensinar habilidades que permitem que os alunos se desenvolvam como pessoas e que saibam como iniciar um projeto e trabalhar sistematicamente para atingir uma meta.

Eles têm tempo para ensinar outras habilidades da vida real, como costura, culinária, marcenaria e muito mais! E enquanto eles estão aprendendo essas habilidades incríveis, eles também estão aprendendo matemática e resolução de problemas e como seguir as instruções.

- Menos estrutura, mais confiança

A confiança é fundamental para todo esse sistema dar certo. Em vez de suspeitarem uns dos outros e criar regras, aros e testes para ver se o sistema está funcionando, eles simplesmente confiam.

A sociedade confia nas escolas para contratar bons professores. As escolas confiam nos professores para serem indivíduos altamente treinados e, portanto, dão a eles liberdade para criar o tipo de ambiente de sala de aula que seja melhor para seus alunos individuais.

Os pais confiam nos professores para tomar decisões que ajudarão seus filhos a aprender e prosperar. Os professores confiam nos alunos para fazer o trabalho e aprender por aprender.

Os alunos confiam nos professores para lhes dar as ferramentas necessárias para serem bem sucedidos. A sociedade confia no sistema e dá à educação o respeito que merece. Funciona e não é complicado. A Finlândia descobriu isso.

Menos é mais.

E se você quiser experienciar  essa vivência tão significativa das escolas da Finlândia, pode se planejar! O país será nossa nova rota de viagens pedagógicas!

 

Será  incrível ter você conosco!     

Conheça as viagens pedagógicas

Viagens